XIV Festival de Artes

Ter, 13/09/2016
Imprimir

Comunidade acadêmica pode sugerir espetáculos e atrações para o XIV Festival de Artes

A comunidade acadêmica do Instituto Federal de Goiás (IFG) tem a chance, nesta edição, de sugerir espetáculos e atrações artísticas externas que irão compor a programação do XIV Festival de Artes. Os interessados podem apresentar suas sugestões até o dia 21 de setembro. O evento, que este ano apresenta o tema Pô!ética, será realizado no Câmpus Luziânia, entre os dias 16 a 19 de novembro.

De acordo com os organizadores, a edição de 2016 do evento vem com uma inovação, ao promover um processo de escuta da comunidade acadêmica na definição de sua programação artística. Desse modo, os interessados em enviar sugestões para as atrações externas ao IFG podem fazê-lo a partir do preenchimento do formulário que está disponível no seguinte endereço eletrônico: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdKkvq2QnpejXo7OKEuFH1mvi6u_dE4eO_0qpOpRabgMSSqAw/viewform. As propostas recebidas serão analisadas e escolhidas pela Comissão Geral de Organização do evento.

A comissão do Festival de Artes esclarece que essas sugestões são voltadas apenas para atrações externas à Instituição. Em um segundo momento, haverá um procedimento específico para as produções internas e da rede federal, o qual será divulgado a partir do dia 19 de setembro.


O tema

Intitulado Pô!ética, o tema do XIV Festival de Artes traz uma mistura de conceitos com o objetivo de celebrar a arte e a condição humana e, também, promover reflexões críticas em vários âmbitos. Confira abaixo o texto divulgado pelos organizadores a respeito do tema desta 14ª edição do Festival:

Pô!ética

O homem outrora celebrou a expressão humana em dois sentidos evidentes: um da ordem do sublime, do apolíneo, de um ideal de pureza e perfeição heroicas e talvez encontrado num mundo etéreo das ideias; outro, da ordem do grotesco, do dionisíaco, da celebração das escatologias, do palhaço, das dores e prazeres da condição de carne. Sentidos tão opostos quanto complementares.
Em algum momento do nosso percurso, talvez por ganância, a vida em sociedade quis criar uma hierarquia entre essas duas matrizes de expressão, como se uma fosse nobre, digna, permitida, e a outra não.
Nós, agora e aqui, nesse momento da história, misturamos sublime e grotesco para aumentar mais ainda a confusão. Ou melhor, pra celebrar a confusão que é a condição humana. Reivindicamos ser: estranhos, incompletos, diversos, aos que dizem negar ser tudo isso, mas também são. Misturamos arte e política sim, pois talvez, assim, ela persiga o bem comum e se torne mais nobre do que é. Aliás, com pouco esforço, visto que sempre estiveram misturadas, borradas, sem limites precisos, sem muros que as separassem. Queremos saber o que é educação e o que é escol(h)a. Queremos exercitar a capacidade crítica para com as relações de dominação da sociedade. Assim, nosso Festival se posiciona criticamente às tentativas de controle da proposta de "Escolas Sem Partido" e, também, às práticas homofóbicas, misóginas e racistas, que têm se expressado no espaço escolar e em toda sociedade.
Pô! Fazemos bagunça, sim! Fazemos da linguagem uma salada, pois queremos saber qual o papel da arte e da política no Brasil de hoje e como elas se entrelaçam. Fazemos nossa festa voltada para a autonomia dos sujeitos, comprometida com uma ciência que atue em favor das coletividades e do bem-estar humano e ambiental, por uma arte que seja questionadora. Saboreamos, não sem indignação, um festival de confusão de conceitos, dos sentidos, e queremos ter o direito de colocar a técnica, a poesia, a estética em busca da ética, em que se misturam e amalgamam o público e o privado, o político e o subjetivo, a ética e a estética, o único e o diverso...
Pô! Não pedimos muita coisa além do óbvio. Pedimos razão, Pô! Também emoção! Pô!
PÔ! ÉTICA!


Acesse aqui o formulário para sugerir atrações ao XIV Festival de Artes.


Diretoria de Comunicação Social/ Reitoria.